De acordo com Jesué Tomé, especialista em novos empreendimentos no setor têxtil, dar início a um novo projeto é muito mais do que etiquetar um produto e colocá-lo à venda

Começar um negócio de moda pode parecer um grande desafio, mas com os recursos e as facilidades que a tecnologia oferece nos dias de hoje, alguns empreendimentos podem sair do papel com mais facilidade do que outros. Isso,  principalmente, pela possibilidade de montar uma loja virtual e divulgar os produtos nas redes sociais para milhares de consumidores. 

O sucesso de uma nova marca de roupas, por exemplo, depende unicamente das estratégias que a marca irá adotar no seu lançamento e no lançamento das coleções seguintes. Por isso, é essencial que elas sejam bem fundamentadas por profissionais que tenham experiência no mercado. 

De acordo com Jesué Tomé, empreendedor e mentor especialista em novos empreendimentos no setor têxtil, jovens empreendedores veem as marcas de roupas como uma das melhores alternativas na hora de começar um negócio. “Isso acontece porque o mercado cresceu muito nos últimos dois anos devido aos impactos causados pela pandemia. As compras on-line cresceram exponencialmente e o segmento de moda no e-commerce foi o que mais cresceu durante esse período, com uma aceleração nas vendas que só era esperada para os próximos dez anos”, revela.

Para o empreendedor, a democratização das mídias também está diretamente relacionada à escolha por esse setor. “Hoje a barreira de entrada para realizar anúncios na internet de forma fácil, simples e barata é muito baixa. Seja por meio de mídia paga ou orgânica, qualquer pessoa consegue criar conteúdo nas redes sociais para divulgar a sua loja ou sua marca, ou buscar influenciadores que se identifiquem com a proposta e divulguem a empresa em suas plataformas. São inúmeras as possibilidades para se destacar no mercado”, declara.

Jesué acredita que atrelar uma marca a influenciadores do segmento é uma das principais alternativas para estabelecer uma nova marca de moda. “É algo que muda o jogo. Quando você coloca uma pessoa que está nos holofotes vestindo sua marca, automaticamente essa empresa estará sendo notada não só pela base de fãs que segue aquele determinado influenciador, como para uma gama enorme de pessoas que podem consumir o conteúdo dessa pessoa de forma indireta”, relata. 

Ao criar uma nova marca, é imprescindível a definição de um público-alvo e um nicho de atuação. “Quem quer vender para todo mundo não consegue vender para ninguém. Além de reduzir o número de concorrentes, quando um nicho é definido a análise de mercado acontece de uma forma mais simples e o gestor irá conhecer melhor o próprio público, sendo mais seletivo e criando uma comunicação mais assertiva efetiva com seus consumidores. A escolha de um nicho e um público-alvo facilita, inclusive, a escolha por um influenciador que esteja diretamente relacionado a esse tipo de vestimenta”, pontua.

Após definir a audiência, é hora de se diferenciar das outras marcas. “Isso acontece com um planejamento robusto de posicionamento. As fotos, vídeos e as divulgações de coleções devem ter uma identidade visual que converse com a marca e com os consumidores. Não basta você fazer da sua marca e de suas redes sociais um catálogo de produtos. É preciso ter um diferencial, campanhas e algo bem elaborado. Nos dias de hoje, com um celular e pouco dinheiro existe a possibilidade de se destacar em meio a tantas novas marcas de roupa. Basta ter um planejamento coerente, que esteja alinhado aos interesses das pessoas que sua empresa quer alcançar”, revela.

O especialista alerta que diversos erros desnecessários são cometidos por empreendedores no início de uma empresa. “O principal equívoco é achar que criar uma marca de roupas é só fazer alguns produtos, etiquetar e colocar para vender. Quem está começando precisa buscar conhecimento sobre o setor para não ficar para trás logo no início. Afinal, diversos empreendedores estão estudando e se especializando na área têxtil, entrando no mercado já com estratégias diferenciadas e preparados para conquistar seu espaço. Se prepare, aposte no desenvolvimento de um website intuitivo, crie uma boa base de fornecedores confiáveis e conte com pessoas de competência, que sabem bem o que estão fazendo para estabelecer sua marca no mercado”, finaliza.

*Jesué Tomé  desenvolveu uma metodologia baseada em tudo que aprendeu ao longo dos mais de dez anos de experiência com sua marca. Depois de diversos caminhos percorridos, erros e acertos com a Alfa Skate® , ele entendeu o que realmente funciona e o que dá resultado no varejo têxtil. Foi depois dessa jornada que ele chegou ao método de ensino batizado de MIAPE, que tem cinco pilares fundamentais como base: mercado, identidade, audiência, produto e estratégia. O propósito é ensinar aos jovens empreendedores como colocar toda a energia no que realmente importa para lançar uma nova marca no mercado em busca de resultados efetivos. Para mais informações, acesse https://viverdemarca.com/curso-viver-de-marca ou pelo Instagram @viverdemarca e @jesuetome 

Por: Carolina Lara

Deixe um comentário

* Ao usar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seus dados por este site.

Categorias
[instagram-feed feed=1]